O Ministério das Cidades abriu as inscrições para os municípios interessados em
participar do Cartão Reforma, programa que dará a famílias carentes até R$
9.646,07 para aumentar ou reformar a casa. Nessa fase, 1.923 municípios estão aptos a participar.


Segundo o ministério, a partir desta terça-feira (7) as prefeituras devem iniciar o
cadastro, destacando seus representantes legais e o órgão que ficará responsável
pela execução do programa no município. A partir de amanhã (8), elas poderão
começar a preencher o formulário com as características das áreas beneficiadas.


O prazo para fazer a solicitação termina no dia 19 de novembro. O Ministério das
Cidades afirma que após o encerramento dos cadastros será divulgada a lista dos
municípios aprovados para receber o benefício.


Os municípios atingidos por enchentes, alagamentos, enxurradas, inundações,
chuvas intensas e de granizo tiveram prioridade no programa e já fizeram a inscrição.


Tire suas dúvidas sobre o programa:


1. O que é o Cartão Reforma?


Será um benefício pago pelo governo para compra de materiais de construção. A
ideia é que as famílias possam reformar, aumentar ou terminar de construir a casa
própria.


2. Quem pode pedir o cartão?


Para ter direito ao benefício é preciso:



  • que a renda bruta (antes de impostos e descontos) da família seja de, no
    máximo, R$ 2.811;

  • ter mais de 18 anos ou ser emancipado;

  • ter celular habilitado para receber SMS (mensagem de texto);

  • ter apenas um imóvel (considerando o país todo, não apenas a cidade) e morar
    nele;

  • a casa precisa estar em um dos municípios selecionados pelo governo, e
    também em um dos bairros indicados pela prefeitura dessa cidade;

  • ter condições de fornecer mão de obra, equipamentos e ferramentas para as
    obras.


Para escolher quem terá direito ao Cartão Reforma será levada em conta a situação
socioeconômica da família e o quanto as casas precisam de melhorias. Terão
prioridade as famílias com renda mais baixa, que têm pessoas idosas ou com
deficiência ou que tenha uma mulher como responsável.


3. Como saber se meu município vai participar?


O governo já definiu os municípios que irão receber a verba na primeira etapa do
programa, porém, cidades atingidas por enchentes terão prioridade. Para saber se
um município foi selecionado, siga esse passo-a-passo:



  • Entre no site http://capacitacao.cartaoreforma.cidades.gov.br/entefederativo/#/
    relatorio;

  • Selecione o Estado, na aba "Unidade Federativa";

  • Selecione o município;

  • Clique no botão "Pesquisar";

  • Vai aparecer uma tabela; procure a 7ª linha, onde está escrito "Cartão Reforma
    (R$)";

  • Se ao lado de "Cartão Reforma (R$)" aparecer "0", significa que não há recursos
    disponíveis para esse município;

  • Se ao lado de "Cartão Reforma (R$)" aparecer algum outro número, significa que
    esse município deve receber recursos do programa.


4. Quem NÃO pode pedir o Cartão Reforma?


O programa não atende:



  • Famílias que moram em imóveis alugados ou cedidos;

  • Imóveis que são exclusivamente comerciais;

  • Imóveis em condições muito ruins (por exemplo, de taipa não revestida, madeira
    aproveitada ou palha);

  • Imóvel que fica em terreno ou lugar alvo de disputa na Justiça;

  • Imóvel que fica em área de risco ou em área que não pode ser regularizada.



 


5. Quanto será pago?


As famílias selecionadas poderão escolher os serviços que precisam ser feitos na
casa, e um técnico da prefeitura irá até o local para verificar se é mesmo possível
fazer esses serviços.


Confira o pronunciamento de temer sobre o novo benefício:



Os valores que serão pagos variam conforme o serviço:



  • Ampliação de casas com mais de três moradores: até R$ 8.048,18;

  • Construção de banheiro: até R$ 5.009,84;

  • Tratamento de esgoto: até R$ 1.645,88;

  • Cobertura inadequada (casas sem telha ou laje de concreto, por exemplo): até
    R$ 4.594,59;

  • Instalações elétricas, hidrossanitárias (encanamentos, tubulações) e de piso,
    revestimentos internos ou externos, fazer pintura, reformar a cobertura e adaptar
    o imóvel para acessibilidade (para um usuário de cadeira de rodas, por exemplo):
    até R$ 7.000,21.


O limite máximo é de R$ 9.646,07 por família.


6. Preciso devolver o dinheiro depois?


O valor não é um empréstimo, portanto, não será preciso devolver o dinheiro ao
governo. Porém, o beneficiário fica responsável por fornecer mão de obra,
equipamentos e ferramentas para executar a obra.


7. Como o cartão será entregue?


A prefeitura deverá fazer o cadastro das famílias que vivem nos bairros
selecionados e, depois, decidir quais vão receber o Cartão Reforma. O governo
ainda não definiu como será esse processo.


Depois que a lista de beneficiários estiver fechada, deve demorar cerca de 30 dias
para o cartão ficar pronto. Ele será entregue na casa das famílias escolhidas.


8. Onde o dinheiro poderá ser usado?


O cartão só poderá ser usado em lojas de materiais de construção credenciadas
pelo Ministério das Cidades. A lista das lojas ainda não foi divulgada. Na hora da
compra, o lojista vai emitir a nota fiscal no sistema do programa Cartão Reforma. Os
técnicos da prefeitura devem acompanhar as obras, verificar se está correndo tudo
bem e se os materiais que aparecem na nota fiscal estão mesmo sendo usados.


9. O cartão tem validade?


O cartão será desbloqueado após a primeira visita da equipe de assistência técnica
na casa da família. O dinheiro pode ser recebido em parcela única ou em até quatro
vezes. A validade do cartão pode variar de 4 a 12 meses, dependendo do serviço a
que o beneficiário tiver direito.


10. Como faço para me inscrever?


As famílias interessadas em participar do programa deverão se inscrever
diretamente na prefeitura de sua cidade, segundo o Ministério das Cidades. Porém,
as inscrições ainda não começaram e não há uma data definida para isso.


11. Quais os documentos exigidos?


De quem vai pedir o benefício:



  • RG ou CNH (Carteira Nacional de Habilitação);

  • CPF;

  • NIS (Número de Identificação Social);

  • Comprovante de estado civil;

  • Comprovante de cadastro no CadÚnico (Cadastro Único para Programas Sociais
    do Governo Federal), se tiver;

  • Escritura pública de emancipação, para quem for menor de 18 anos emancipado.


Das outras pessoas que moram na casa:



  • Menores de 18 anos: RG ou certidão de nascimento;

  • Maiores de 18 anos: RG ou CNH;

  • NIS.


Outros documentos:



  • Comprovante de renda:
    - Para trabalhadores com carteira assinada: carteira de trabalho, holerite dos
    últimos três meses, Declaração Comprobatória de Percepção de Rendimento dos
    últimos três meses ou declaração do Imposto de Renda;
    - Para aposentados e pensionistas: comprovante do INSS;
    - Para trabalhadores sem carteira assinada: extrato do banco dos últimos três
    meses ou declaração de renda.

  • Do imóvel (um dos documentos abaixo):
    - Para comprovação de propriedade: certidão da matrícula do imóvel;
    - Para comprovação de posse: escritura, concessão pública, cessão de direito
    emitida pelo poder público, sentença judicial, formal de partilha, certidão emitida
    pelo poder executivo, doação, contrato de promessa de compra e venda, contrato
    de direito de laje ou superfície ou contrato de usufruto.

  • Conta de luz.


fonte: UOL